UX/UI: Quais características o seu site deve ter para ser user-friendly

UX/UI são duas siglas que estão super na moda hoje em dia quando falamos de negócios digitais. Para mim é muito comum ver empresas se esforçando cada vez mais para trabalhar com estes conceitos. 

E eu acho esse movimento super positivo. Toda empresa precisa investir na experiência e na interface do usuário. Afinal de contas, é para ele que todo este esforço foi feito: para agregar valor ao cliente.

Só que trabalhar o UX/UI do seu site pode ser mais complicado do que você imagina. Por isso, eu preparei um conteúdo para tratar especialmente desse assunto. Vem ver!

O que é UX/UI?

Primeiro de tudo é importante ressaltar que aqui nós estamos tratando de dois conceitos distintos. Vamos destacar essas diferenças para esclarecer os detalhes desde o princípio.

O conceito de UX

Este é um conceito bastante simples de entender, e a tradução dele já é bastante ilustrativa. Basicamente, estamos falando da Experiência do Usuário. Em resumo, é tudo o que o usuário sente quando está utilizando o seu site, ou app, ou programa, jogo, etc.

Todas as interações que o usuário tem com a solução que utiliza são de interesse do UX designer. A função dele neste sentido é fazer com que estas interações aconteçam da maneira mais tranquila e bem sucedida possível.

Vale ressaltar também que a usabilidade de um sistema online não diz respeito apenas à praticidade de uso. É preciso empatia, usabilidade, humanidade e qualidade durante a programação.

Afinal, não basta que o site seja bonito ou útil. Idealmente, ele proporcionará uma experiência completa, positiva e que encante o cliente. Aliás, falando em cliente, o UX precisa ser totalmente adaptado às necessidades daquele grupo de usuários em especial.

Além de tudo o que mencionamos até agora, é muito importante que a experiência de usuário de uma solução digital também esteja alinhada ao crescimento da marca. Em muitos casos, é justamente a experiência de uso de um app que eleva uma marca a um novo patamar.

O exemplo mais conhecido disso é o Nubank. Mas existem diversas outras empresas que conquistaram milhares de novos clientes porque o UX de seus sites e apps era diferenciado.

Essa história de empatia e usabilidade pode parecer bastante abstrata agora. Mas você vai entender melhor quando trouxermos os nossos exemplos.

E o que é UI?

Beleza. O UX cuida da experiência do usuário. Mas esta experiência vem de onde? 

A experiência do usuário é proporcionada justamente pela interface. Daí vem a sigla UI (Interface do Usuário).

Este conceito está relacionado a tudo o que o usuário utiliza para ter a sua experiência proveitosa.

Ou seja, os elementos visíveis na tela (front end), os códigos que fazem o site funcionar (back end), a arquitetura da informação, a hospedagem dos dados e tantos outros detalhes técnicos que fazem um app ou site serem agradáveis ao público. 

Além disso, a área de UI também trabalha muito com a prototipagem dos produtos e serviços oferecidos pelo seu negócio.

Ou seja, o profissional desta área cria versões simplificadas do que você tem a oferecer para testar a reação dos usuários e implementar melhorias.

Portanto, se a gente fosse resumir estas diferenças, poderíamos dizer que o UX pensa uma experiência. O UI faz a experiência efetivamente acontecer.

Vamos entender UX/UI com alguns exemplos

Lembra que eu falei lá no começo do texto que o UX precisa olhar o usuário com empatia e humanidade? Não é bem de caridade que estamos falando, mas sim, de entender uma dor ou uma necessidade que aquela pessoa pode ter.

Se o UX compreende as dores do usuário, ele pode oferecer soluções e experiências que estejam mais alinhadas exatamente ao que aquela pessoa precisa.

Uma vez que o UX tenha pensado a jornada do usuário e compreendido exatamente o que aqueles indivíduos procuram, o UI pensa estratégias para transformar estes conceitos em uma realidade aplicável.

Diferenças práticas

Vamos imaginar o app da conta digital que você utiliza para movimentar o seu dinheiro. Hoje já é consenso entre este tipo de app: ao pagar um boleto, primeiro o aplicativo te permite escanear o código de barras com a câmera. Se não for possível, aí o usuário pode inserir manualmente o número do código.

Durante a concepção do app, o UX designer provavelmente percebeu que a maioria dos usuários prefere escanear o código de barras com a câmera do que digitar um número com mais de 30 algarismos, mas que nem sempre isso é possível.

Foi aí que o UI entrou em ação. Ele desenvolveu uma interface de prioridade que abria a câmera automaticamente sempre que o cliente clicar em “pagar com boleto”. Aí, seja pelo tempo gasto ou pela ordem do usuário, o designer inseriu a interface de pagamento manual, abrindo uma caixa de texto e o teclado virtual do dispositivo.

Vamos a um exemplo de e-commerce agora.

O UX detecta o desejo dos clientes em encontrar sempre os produtos mais baratos e, preferencialmente, os que estejam mais próximos do lugar onde moram para que a entrega seja mais rápida.

Logo, o UX elabora uma política de diferentes filtros para que a ordem de exibição dos produtos seja personalizada.

Depois da concepção do UX, o UI cuida de todos os algoritmos para realmente fazer com que os resultados sigam a ordem proposta pelos filtros, além de fazer aquilo ficar bonito na interface do site, bem como testar a funcionalidade na prática.

Conclusão

Embora nós tenhamos diferenciado as atuações aqui, é muito comum que o UX/UI seja realizado pelo mesmo profissional dentro das empresas. Especialmente nos empreendimentos com menor orçamento técnico. 

Importante ressaltar também que nem sempre o UX vem antes do UI. Há casos em que o fluxo de trabalho é oposto. O UI quer testar um novo conceito de interface, enquanto o UX anota as reações dos usuários. Uma entre diversas possibilidades para dois conceitos que andam lado a lado.

Conte com a SLIN para auxiliar você no UX/UI! A gente concebe, cria e cuida do seu site para que você possa se dedicar ao cuidado com a sua operação.

Conheça esse e outros de nossos serviços e entre em contato para orçamentos sem compromisso!

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário ou insight logo abaixo.

Curtiu? Compartilhe conhecimento!

Não esqueça de favoritar essa página, para voltar sempre que precisar!

compartilhe com um amigo

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook

deixe seu insight

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a receber nosso conteúdo

Nosso conteúdo na sua rede social favorita

Arlindo Jr.

Arlindo Jr.

Trabalha há mais de 10 anos com design, tecnologia e marketing e resolve problemas na slin.digital, além disso adora trocar uma idéia e tomar um café :)